segunda-feira, 9 de maio de 2011

Fêmea Selvagem

O meu gozo ensanguentado tatua a tua pela suada, sobre o movimento
de nossos corpos febris, em busca do prazer.
                                      Em um momento de transe, sinto teu pênis afogando
                      pra dentro da minha cachoeira dos prazeres, resgatando lá no fundo
o orgasmo dos desejos.
                          Incorporo assim uma fêmea selvagem de gemidos eloquentes, que
dançam por toda essa noite nua. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário